domingo, 8 de setembro de 2013

Ônibus retrô da Viação Cometa nas estradas de São Paulo





















Na rodoviária, na estrada e nas paradas nas pequenas cidades, a cena é a mesma. As pessoas se aglomeram e tiram fotos. Muitas. A tietagem é tanta que a viagem chega a atrasar meia hora.


A estrela em questão é um ônibus restaurado da Viação Cometa, o Flecha Azul, um clássico das estradas.

Em comemoração aos 65 anos, a empresa restaurou o último modelo, produzido de 1983 a 1999, e fará 65 viagens pelo Brasil até outubro.
Antes disso, outros modelos, como o Papo Amarelo, Flecha de Prata e Jumbo, fizeram sucesso.


Na última quinta, a  viagem  de São Paulo à Franca à bordo do Flecha Azul.

No trajeto de pouco mais de 400 km, o ônibus foi parado quatro vezes por policiais rodoviários. Não era blitz, nem excesso de velocidade.

"Os guardas param para tirar fotos do ônibus, fotos deles com ônibus ao fundo e fotos deles com o motorista, é claro. É uma festa sempre", conta o motorista Marco Ernesto, 11 anos na Cometa.


Seu traje também remete a um passado glorioso do transporte de passageiros, quando os motoristas dirigiam com camisas alinhadas, gravata, quepe e óculos escuros grandes, uma das marcas dos motoristas da Cometa.


Segundo Ernesto, desde que as viagens comemorativas começaram, em agosto, os "busólogos" (aficcionados por ônibus) e nostálgicos estão fazendo vários trajetos. "Dias desses, era tanta gente que praticamente fecharam a rodovia de Belo Horizonte."

No ônibus, havia passageiros de todos os tipos. Os que viajavam somente por causa do ônibus, como o piloto Murilo Cerqueira Ambrósio, 22, não perdiam um só detalhe. Fotografaram o motor, as lanternas e a lataria do veículo.

"Passei vários anos da minha infância nos ônibus da Cometa, fazendo o trajeto São Paulo-Franca-São Paulo porque meu pai trabalhava em São Paulo. Lembro do banco de couro vermelho, parecia uma cama", diz Ambrósio.


O couro legítimo, no entanto, que era usado nos modelos antigos, foi trocado pelo sintético no ônibus retrô.
Também foram incorporados vidros fechados, lanternas LED, ar-condicionado e wi-fi.

Outros passageiros estavam em seus deslocamentos normais e se surpreenderam com a viagem comemorativa.


O aposentado Masame Tiausa, 76, foi um deles.
"Não sabia, foi uma surpresa bacana. Lembrei de quando era adolescente.
Morava em Taubaté, gostava de ver os ônibus azuis da Cometa cruzarem a via Dutra."


Os preços das passagens são os mesmos cobrados normalmente pela empresa para rotas previstas.
Uma viagem de São Paulo à Franca no Flecha Azul custa R$ 70,01. A lista de roteiros disponíveis está na internet: www.cometa65anos.com.br.

    O  ônibus  na  Estação  Rodoviária  ,  quem  se  esquece ?.

Um comentário:

  1. EU TAMBEM ANDEI NO AUTOMÁTICO COM POLTRONAS DE COURO GOSTAVA MUITO

    ResponderExcluir