quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Estádio do Corinthians fevereiro de 2012 fotos.

Estádio do Corinthians 14 de Fevereiro de 2012




















Notícias da obra


A obra do estádio do Corinthians já marca 3.012 estacas cravadas, de um total de 3.200 até o final de fevereiro de 2012.


 Também já foram executados mais de 502 blocos de concreto e instalados 84 vigas jacaré na arquibancada inferior do edifício leste. Com 124 equipamentos e 61 pilares, a obra já avançou 25,34% e hoje tem 1.171 trabalhadores, divididos em três turnos.


A Odebrecht Infraestrutura já iniciou a instalação dos degraus no edifício leste do estádio com oito peças já assentadas. A expectativa é crescer substancialmente a partir do dia 30 de janeiro. A previsão de término das obras é dezembro de 2013.

Localização

Itaquera, bairro da zona leste de São Paulo (SP)

Modelo de Contrato



Contrato privado entre Corinthians e Odebrecht.


A obra do estádio do Corinthians já marca 3.012 estacas cravadas, de um total de 3.200 até o final de fevereiro de 2012. Também já foram executados mais


Valor


R$ 820 milhões


Início das obras


30 de maio de 2011.


Estágio atual


Já foram cravadas 3.012 estacas, executados 502 blocos de concreto e instaladas 84 vigas jacaré na arquibancada inferior do edifício leste. Com 124 equipamentos e 61 pilares, a obra já avançou 25,34%.


Empregos gerados



Durante o pico das obras, serão 2.000. Em janeiro de 2012, são 1.171.




Gobbi  contesta cobertura de estádio .





Mário Gobbi não se intimidou com as cobranças de Paulo Garcia, com quem concorrerá à presidência do Corinthians no sábado de 11 de fevereiro. 


Nessa quarta-feira, um dia após o candidato da oposição exigir insistentemente a realização de um debate, o delegado apoiado por Andrés Sanchez aceitou o desafio e ainda contestou alguns dos projetos de seu adversário - como a construção de uma cobertura para o estádio que sediará o primeiro jogo da Copa do Mundo de 2014.


"Estou às ordens para o debate, à disposição", avisou Gobbi. "Não tenho problema nenhum em debater com o meu colega, o Paulo Garcia. Se fizerem um debate, comparecerei com muito prazer. Sou favorável", acrescentou o candidato, que ocupou o cargo de diretor de futebol do Corinthians em três anos da gestão do presidente licenciado Andrés Sanchez.


Paulo Garcia chegou a sugerir que o debate eleitoral fosse promovido pela TV Corinthians. O proprietário do grupo Kalunga (empresa de papelaria e informática, principal patrocinadora do Corinthians entre 1983 e 1995) acredita que não aparece na emissora oficial do clube por ser da oposição.


"Eu nunca fui à TV Corinthians nem tenho espaço lá", igualou-se Gobbi, alegando que se distanciou de muitos eventos do clube para não tirar proveito do fato de estar na situação. "Fiquei um ano longe da mídia. 


O Corinthians foi campeão brasileiro, e eu não apareci. O time ganhou a Copa São Paulo, e eu não desci para o campo. Preferi ficar na minha salinha, assistir ao jogo e ir embora logo depois. Procuro ter uma conduta bastante ética. 


Até os sócios dizem que usei muito pouco o espaço que tive. Para mim, isso é um elogio. Não somos nós que devemos ficar em evidência, e sim o Corinthians."


Assim como Paulo Garcia, Mário Gobbi garantiu que dará atenção especial ao estádio de Itaquera, na Zona Leste de São Paulo, se for eleito presidente. Mas discordou da ideia do adversário, de cobrir toda a arena.


"O estádio já é planejado para ser inteirinho coberto ao público. Apenas a parte central é aberta. A Fifa entende que essa é a melhor forma para o campo, pois precisa entrar ar, sol e por aí vai. 


Quando planejamos o estádio, as empresas acharam que não seria bom cobrir tudo. Por isso, fizemos nesses moldes. É salutar que o vão seja mantido", defendeu Gobbi.

Nenhum comentário:

Postar um comentário